• Ultimas Noticias

“Como identificar e lidar com a ansiedade das crianças e dos adolescentes?” por Tatiana

É importante salientar que a ansiedade é uma emoção. Não é boa, nem ruim. Esta emoção é um mecanismo de defesa, pois a nossa mente avalia o tempo inteiro as situações como tendo riscos potenciais. À medida que crescem, todas as crianças são propensas a passar por situações desafiadoras que provocam pensamentos preocupantes. Isso é absolutamente normal.

Existe um lado positivo para a ansiedade. Quando o seu filho(a) tem um trabalho para apresentar no colégio, ou vai participar de um campeonato, por exemplo, a ansiedade tem o papel de preparação para o enfrentamento destes desafios. Seria o start de um motor, ou seja, ativa um estado de alerta e prontidão e isso é positivo para o ser humano.

Mas como identificar quando esta emoção foge dos padrões de normalidade e passam a ser preocupantes?

No mundo todo, segundo a Associação Americana de Transtornos de Ansiedade, de 9% a 15% da população de 5 a 16 anos de idade sofrem desse mal. Os pais devem buscar ajuda quando a ansiedade tem um efeito significativo e negativo na escola e nos relacionamentos. É uma “pré-ocupação” constante.  Ou seja, um sofrimento antes de algo acontecer.[/vc_column_text][vc_row_inner][vc_column_inner width=”1/2″][vc_column_text]O excesso de estímulos sonoros, visuais, físicos e informativos impedem que a criança organize seus pensamentos e atitudes. A ansiedade também tem como base temores, globais e difusos.

Por isso, é importante trazer a criança para o momento presente. Acalmá-la.

A criança e o adolescente, neste caso, querem controlar excessivamente as coisas e se desgastam fisicamente e mentalmente. Portanto, é comum apresentarem respiração acelerada, roem unhas, demonstram muita inquietude, e em alguns casos até diarreia, vômito, etc..

Seria um nível de tensão que causa sofrimento no dia a dia.[/vc_column_text][/vc_column_inner][vc_column_inner width=”1/2″][vc_gallery images=”3865″ img_size=”full”][/vc_column_inner][/vc_row_inner][vc_column_text]

[/vc_column_text][vc_column_text]

E como ajudá-lo(a) neste acaso?

  1. Divida a situação em pequenas porções

É importante desmembrar a tarefa assustadora em pequenos pedaços. Por exemplo, se a criança está com muito medo e ansiosa para estudar o conteúdo e realizar uma prova, converse com ela, diga que vai ajudá-la e irão apenas ler um capítulo do livro. Passo a passo, fortaleça a confiança para todas as outras etapas do processo. Diga que o seu amor não irá diminuir, caso ela não alcance o objetivo. E o importante é vivenciar o desafio e persistir.

  1. Encoraje-a a verbalizar os sentimentos

Muitas vezes, as crianças ficam mais ansiosas e confusas ainda quando não conseguem conversar e colocar em palavras o que sentem. Pais e educadores, com muita vontade de ajudar e acertar, às vezes, chamam o jovem para conversar e fazem discursos sobre como resolver a situação. Entretanto, a criança e o adolescente precisam externar os sentimentos e a escuta dos pais e educadores é fundamental.

  1. Seja um bom exemplo

As crianças aprendem mais com o que veem do que com o que ouvem. Portanto, os pais e

educadores são uma referência.  É preciso viver o aqui e o agora. A ansiedade é uma doença do futuro. Portanto, é preciso saber viver o momento presente!

  1. Utilização de técnicas de relaxamento

Especialistas afirmam que, na correria do dia-a-dia não reservamos tempo para pensar, sentir e filtrar estímulos. Portanto, é importante ter um momento do dia para acalmar, prestar atenção na respiração, sentir o ritmo do próprio corpo e reconhecer as emoções.  O pensamento acelerado pode causar insônia e uma série de malefícios. Portanto, vamos separar um momento do dia para relaxar a “mente tagarela”?

Estes são apenas alguns recursos. Amor, autoconfiança, vida organizada, desenvolver a congruência e pensamentos positivos são excelentes para combater a ansiedade e a insegurança. Vamos exercitar?[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column][vc_column_text]

Tatiana Sessa

Psicóloga Clínica e Orientadora Educacional do Colégio Objetivo Camboinhas

CRP 05 303050 [/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]

0 visualização

(21) 2619-9500

©2020 por Colégio Objetivo Camboinhas.